Seguidores


Você tem alguma compulsão?COMPULSÃO POR TECLAR.

5


COMPULSÃO POR TECLAR
A ideia era só aceitar o colega que a adicionou no Facebook. Mas por que não ver o que o paquera escreveu no mural? E aproveitar para atualizar o perfil, conferir os álbuns de fotos... A conexão, que deveria durar uns minutos, avança pela noite. Que atire o primeiro mouse quem nunca passou por isso. Varar uma ou outra noite na web? Okay.
O problema é quando, no dia seguinte, numa reunião de trabalho, você fica ansiosa para recomeçar o ritual.
A dependência de internet é um fenômeno recente, de proporções cada vez mais alarmantes. “O problema está subestimado no Brasil, líder no tempo de conexão doméstica, com uma média de 22 horas mensais por pessoa”, diz Nabuco, que há dois anos coordena o Grupo de Dependência de Internet do Instituto de Psiquiatria da USP. Ele esperava uma procura majoritária jovem e masculina, mas a realidade é outra: participam das reuniões homens e mulheres, de adolescentes a idosos, sobretudo das classes A e B. Para Nabuco, muitas horas de conexão não são necessariamente algo negativo. Não se pode ignorar, por exemplo, o sem-número de casamentos resultantes de encontros online. “Tudo depende da intensidade do uso”, diz.
Quem tem depressão ou está carente corre o risco de trocar experiências da vida real por momentos na rede, onde é possível manipular a realidade. Carência afetiva pode levar a um excesso de exposição da intimidade — o que gera riscos inclusive na vida real.

Sinais de dependência
1) Você negligencia as tarefas domésticas para passar mais tempo online.
2) Seu namorado ou suas amigas se queixam da quantidade de tempo que você passa na internet.
3) Checar seus e-mails é a primeira coisa que você faz a cada dia.
4) Você tenta esconder quanto tempo está na internet.
5) Você opta por ficar online em vez de sair com outras pessoas.
6) Você se sente deprimida, mal-humorada ou nervosa quando está off-line e esse sentimento vai embora assim que você se conecta.

Como sair dessa
1) Estabeleça um número de horas de internet por dia ou um horário fixo para ficar no computador.
2) Evite trocar experiências da “vida real” por relacionamentos mediados pela internet. No telefone ou ao vivo, os interlocutores decidem juntos quando finalizar o papo. Na internet, manipula-se a realidade. Pode-se dizer que a conexão caiu para evitar uma pergunta difícil.
3) Se estiver carente ou triste, ligue para uma amiga e vá encontrá-la — é melhor do que colocar um anúncio no Facebook.
4) Procure ajuda. O trabalho do Grupo de Dependência de Internet é realizado sempre em turma — um requisito para que se respeite o compromisso de não ultrapassar certo número de horas online. Alguns casos recebem atenção individual. Mais informações no sitehttp://www.dependenciadeinternet.com.br/

>> Cuidado com a internet
Num espaço de 140 caracteres, responde-se à pergunta “O que está acontecendo?” É a senha para pessoas postarem no Twitter de sacadas espirituosas a detalhes da vida sexual. Por que isso ocorre? “Pessoas que se sentem carentes, isoladas e sem sentido podem ser alguém na internet”, diz Cristiano Nabuco.

Para ele, a web deu uma nova dimensão ao conceito de intimidade. Além disso, a exposição dá vazão ao narcisismo exacerbado, típico das gerações atuais, em que sobra individualismo e a modéstia é sinônimo do autoboicote.

Tudo bem usar a internet para vender o peixe, mas algum limite não faz mal. Além do risco de golpistas se valerem de informações para finalidades perversas, detalhes postados podem contar pontos negativos na carreira.

Hoje, recrutadores costumam “dar um Google” com o nome do candidato a uma vaga. E é provável que suas chances mínguem se ele deparar com as fotos em que você está bêbada. Uma medida do exagero é colocar na rede fotos em trajes que você usaria em público — já que a internet é um deles. Aconselha-se também escrever coisas que possam ser lidas por colegas de trabalho. Lembre-se da máxima jurídica: tudo o que você disser pode e irá ser usado contra você.

Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/bem-estar/reportagem/viver-bem/voce-tem-alguma-compulsao-698306.shtml

5 Recados:

Ana Alice disse...

Não sabia, mas tenho compulsão por teclar.
As vezes para fugir dos meus problemas entro na internet, e tudo parece se resolver...
A internet hoje em dia é mais um refugio do que uma fonte de diversão...
Obrigada pela reportagem! Eu nunca iria lê-la no site que foi postado originalmente!
Beijos
http://simplesporemcomplicado.blogspot.com/

Mannoella Ribeiro disse...

Eu sou assumida eu tenho compulsão por fazer donwload, mesmo que eu não veja eu tenho que fazer dowload de imagens, livros, videos, musícas e filmes. Me sinto tão bem quando faço isso. Visita meu cantinho www.mannuartes.blogspot.com.br tou seguindo vc.... Bjs

Adriana Duarte - Sentimentos Vivos disse...

Oi Siglea! O blog da Professora Lourdes Duarte fez uma linda homenagem as Blogueis Unidas e quem aprovasse participasse dessa corrente de gratidão e reconhecimento ao lindo trabalho de você. Como achei merecida esta homenagem já divulguei com todo carinho no meu blog. Obrigada , você fazem a diferença neste mundo virtual e particularmente nesta blogsfera. Bjusss e muito sucesso.

Clarina disse...

Oi
Interessante este artigo ... vou partilhar
Um forte abraço
Deus abençõe

Carla Russo disse...

Siglea querida!

Com certeza sou compulsiva kkkkk
Mas também com tantas belezas para se ver
agente fica presa a telinha kkkk
Parabéns tudo que tem teu toque é divino!
És uma abençoada!
Bjss miga

Postar um comentário

Dia 19 de Março - Dia do Artesão

Dia 19 de Março - Dia do Artesão
Minha poesia é inglória, vive em bancas incertas.
Do pódio e das vitórias, traduz histórias discretas.
Nos dizeres, incontida, minha poesia é de lua, às vezes, reza vestida às vezes, discursa nua.
Meu poema é artesanato.
E sai-me pronto das mãos.
Coso-o, com muito cuidado, cirzo-o, sem distração.
Às vezes, vem das sucatas de contas e velhos botões, de renda e fitas baratas, da fieira dos piões.
Que ressona atrás da porta, tem os pêlos de um cão, no final das linhas tortas traz pena, paina, algodão. Tem cores das violetas, pose de pedra-sabão.
Nas asas da borboleta, nem coloca os pés no chão.
O poema-artesanato traz ponto-cruz, bordaduras.
É sempre um simples retrato de uma notória figura. Retirado da net.


São José Carpinteiro.

São José Carpinteiro.