Seguidores


Você é especial. Jamais se diminua ou se sinta incapaz!

7

Você tem medo de errar ou falhar? 
O mais importante não é errar, mas aprender lições 
com cada um desses erros.
Augusto cury


7 Recados:

Ivone... disse...

Oi Singlea tudo bem?
Acho que o errar faz parte da nossa jornada, mas ninguém gosta mas faz parte.
Tem sorteio no meu blog.
Te convido a participar.

Beijos

http://artescompaixao.blogspot.com.br/2012/10/sorteio-duplo-aqui-no-artes-com-paixao.html#.UGyQZZh2zfI

Tainá Barbeiro Maquiagens disse...

vim aqui visitar o teu blog *-*, gostei do post, lhe convido para vê o post de hj lá no meu blog de uma make q fiz, espero q goste, comenta no post de hj :**, estou te seguindo, me segue tbm ;)

Manoel Carlos Alves disse...

Parabéns, seu blog está muito belo, suas imagens e fotos belas...
Aguardo a sua visita, http://inkdesignerstampas.blogspot.com

Se quiser me add no facebook
https://www.facebook.com/MANOALVES2008?ref=tn_tnmn..

Carla Carvalho disse...

Oi gente, estou aqui para divulgar meu novo blog: Vivendo Sim. www.vivendosim.blogspot.com Lá estarei abrangendo assuntos relacionados à saúde.

Simplesmente Silvinha (Simply Silvia) disse...

Oi Siglea que graça,
Parabéns pelo blog!
bjs e boa semana
Silvinha
BU 1193

http://tearpiaocupacional.blogspot.com.br/

Leili Maia disse...

Isso mesmo.

Seguindo seu blog, se puder passa lá no Você Vaidosa.
http://vocevaidosaa.blogspot.com.br/

José Ramón disse...

admirável esses textos um prazer passar pelo seu blog.
Saudações de texto e Abstração Reflexão

Postar um comentário

Dia 19 de Março - Dia do Artesão

Dia 19 de Março - Dia do Artesão
Minha poesia é inglória, vive em bancas incertas.
Do pódio e das vitórias, traduz histórias discretas.
Nos dizeres, incontida, minha poesia é de lua, às vezes, reza vestida às vezes, discursa nua.
Meu poema é artesanato.
E sai-me pronto das mãos.
Coso-o, com muito cuidado, cirzo-o, sem distração.
Às vezes, vem das sucatas de contas e velhos botões, de renda e fitas baratas, da fieira dos piões.
Que ressona atrás da porta, tem os pêlos de um cão, no final das linhas tortas traz pena, paina, algodão. Tem cores das violetas, pose de pedra-sabão.
Nas asas da borboleta, nem coloca os pés no chão.
O poema-artesanato traz ponto-cruz, bordaduras.
É sempre um simples retrato de uma notória figura. Retirado da net.


São José Carpinteiro.

São José Carpinteiro.