Seguidores


Pessoas são flores. Elas brotam em nossa vida e deixam sinais. Como a sonoridade do tempo ao longo da existência. Como a sensibilidade da alma.

0


Pessoas são flores. Elas brotam em nossa vida e deixam sinais.



Como a sonoridade do tempo ao longo da existência.



Como a sensibilidade da alma.

Olhe a pessoa que está ao seu lado e você vai descobrir, no íntimo, que há uma flor desabrochando dentro de si.

Procure sentir as pétalas de cada flor, pois cada uma tem uma doce surpresa.

Flores foram compostas para serem ouvidas, sentidas, compreendidas, interpretadas e adoradas.

Para tocarem nossas vidas com a mesma força do instante em que foram criadas, para tocarem suas próprias vidas com toda essa delicadeza encantadora.

E de poderem deixar o perfume exalar de forma delicada.

Afinal, de poderem cumprir todo o sentido que a elas foram dadas, com a beleza que toca nossos corações, com uma magia única.

Flores são como cada um de nós.

Não percebem?

Como vocês, elas precisam de carinho e cuidados, pois são criaturas vivas.

Flores nos fascinam. Mesmo arrancadas das roseiras.

Mesmo aquela flor que murcha em silêncio.

Chega um dia em que a vida se esvai da flor. E talvez você não tenha tido a oportunidade de rega-la. Ou ao menos não ter dito: "como você floriu linda em meu jardim".

Sempre deixem a flor do jardim expressar a sua formosura. Apenas assim sentirá perpetuará o seu perfume e sua beleza.
Hidra

0 Recados:

Postar um comentário

Dia 19 de Março - Dia do Artesão

Dia 19 de Março - Dia do Artesão
Minha poesia é inglória, vive em bancas incertas.
Do pódio e das vitórias, traduz histórias discretas.
Nos dizeres, incontida, minha poesia é de lua, às vezes, reza vestida às vezes, discursa nua.
Meu poema é artesanato.
E sai-me pronto das mãos.
Coso-o, com muito cuidado, cirzo-o, sem distração.
Às vezes, vem das sucatas de contas e velhos botões, de renda e fitas baratas, da fieira dos piões.
Que ressona atrás da porta, tem os pêlos de um cão, no final das linhas tortas traz pena, paina, algodão. Tem cores das violetas, pose de pedra-sabão.
Nas asas da borboleta, nem coloca os pés no chão.
O poema-artesanato traz ponto-cruz, bordaduras.
É sempre um simples retrato de uma notória figura. Retirado da net.


São José Carpinteiro.

São José Carpinteiro.