Seguidores


Eu Perdôo

9

"A partir deste momento, eu perdôo todas as pessoas que de alguma forma me ofenderam, me injuriaram, me prejudicaram....
Perdôo, especialmente, quem me provocou até que eu perdesse a paciência, para depois me fazer sentir vergonha, remorso e culpa inadequada. Reconheço, que também fui responsável pelas agressões que recebi, pois várias vezes confiei em indivíduos negativos, permiti que me fizessem de bobo e descarregassem sobre mim seu mau caráter.
Iniciei agora, uma nova etapa de minha vida, em companhia de gente amiga, sadia e competente: queremos compartilhar sentimentos nobres, enquanto trabalhamos pelo progresso de todos nós.
Jamais voltarei a me queixar, falando sobre mágoas e pessoas negativas. Se por acaso pensar nelas, lembrarei que já estão perdoadas.
Agradeço pelas dificuldades que essas pessoas me causaram, pois isso me ajudou a evoluir, do nível humano comum ao nível em que estou agora.
Quando me lembrar das pessoas que me fizeram sofrer, procurarei valorizar suas boas qualidades e pedirei ao Criador que as perdoe também. Dou razão a todas as pessoas que rejeitaram o meu amor e minhas boas intenções, pois reconheço que é um direito que assiste a cada um me repelir, não me corresponder e me afastar de suas vidas.
Agora, sinceramente, peço perdão a todas as pessoas a quem, de alguma forma, consciente e inconscientemente, eu ofendi, injuriei, prejudiquei ou desagradei. Analisando e fazendo julgamento de tudo que realizei ao longo de toda a minha vida, vejo que o valor das minhas boas ações é suficiente para pagar todas as minhas dívidas e resgatar todas as minhas culpas, deixando um saldo positivo a meu favor.
Sinto-me em paz com minha consciência e de cabeça erguida respiro profundamente.
Agradeço de todo o coração, a todas as pessoas que me ajudaram e comprometo-me a retribuir trabalhando para o meu bem e do próximo.
Assim seja, assim é e assim será."

[ autor desconhecido ]
Esta mensagem encontrei no blog da amiga Elizandra Oliveira.
Clique no link, faça uma visita e deixe um comentário carinhoso para Elizandra.
Ela vai amar com, com certeza!

9 Recados:

brasileirasimsenhor disse...

Adorei a mensagem querida. Nada como viver em paz com a própria consciência. Super bjs. Ps::farei sim a postagem sobre artesanato. Aguarde!! Bjs

Elizandra Oliveira disse...

oi Siglea abençoado sábado pra vc tbm...eu sempre q posso estou aqui espiando rs...o quando quiser pode visitar o blog será sempre vinda!!!bjos!!!

Carmen Ferreira disse...

oi querida
quero te convidar para o sorteio no meu novo blog "pesquei na net", é um kit doce: cordão e pulseira de cupcake, chaveiro sorvete de morango, alfineteiro com alfinetes de cupcake e mai umas coisinhas...o sorteio acaba dia 30/01... se puder passa lá e participa tá?
bjos
Carmen

Leni disse...

Querida amiga. Perdão: palavrinha fácil de falar, mas difícil de praticar, não é mesmo? Devemos perdoar diariamente, não é fácil, mas também não é impossível. Bjs Lê
Bu 174 http://penachioarte.blogspot.com

Luciana disse...

Oie! Já estou te seguindo!
bjs

Josinete Beatriz disse...

Linda mensagem Siglea! Difícil verdadeiramente de ser vivida. Jesus nos ensinou perdoar quantas vezes necessário! Peçamos a Ele a graça de poder perdoar quem nos calunia e nos ofende!
Desejo uma semana de muita paz e saúde pra voce!
Josi

Roberta Mendes disse...

Oi amiga, adoro teu blog sempre tem coisas lindas por aqui,estou aqui também para informar o novo endereço do meu blog, para você não deixar de me visitar , já que para a mim a sua visita é tudo de bom,beijokas...
http://titacarre.com
http://agulhaetricot.com
http://titacarre.elo7.com.br visite minha loja tb e deixe sua opinião sobre meus produtos.

lenalima disse...

Olá!
não consegui achar seus potes de sorvete!

bj

As blogueiras disse...

Linda mensagem!Bjs
www.artesemcrochedalu.blogspot.com
www.mundopinkdapam.blogspot.com

Postar um comentário

Dia 19 de Março - Dia do Artesão

Dia 19 de Março - Dia do Artesão
Minha poesia é inglória, vive em bancas incertas.
Do pódio e das vitórias, traduz histórias discretas.
Nos dizeres, incontida, minha poesia é de lua, às vezes, reza vestida às vezes, discursa nua.
Meu poema é artesanato.
E sai-me pronto das mãos.
Coso-o, com muito cuidado, cirzo-o, sem distração.
Às vezes, vem das sucatas de contas e velhos botões, de renda e fitas baratas, da fieira dos piões.
Que ressona atrás da porta, tem os pêlos de um cão, no final das linhas tortas traz pena, paina, algodão. Tem cores das violetas, pose de pedra-sabão.
Nas asas da borboleta, nem coloca os pés no chão.
O poema-artesanato traz ponto-cruz, bordaduras.
É sempre um simples retrato de uma notória figura. Retirado da net.


São José Carpinteiro.

São José Carpinteiro.