Seguidores


Se anjos existem...

1

Se anjos existem, encontramo-los nas amizades que persistem... Cada amizade encontrada ao léu, é como um anjo que desceu do céu... Amizades que surgem para nos ajudar, para nos fazer a vida melhor apreciar, que nos fazem agora e sempre acreditar que tudo sempre pode melhorar... Se todos no mundo entendessem o valor de uma amizade verdadeira, não fariam tanta besteira, e não deixariam que tantas coisas acontecessem... Amigos não enxergam apenas as qualidades, embora delas todos tenham necessidade... Amigos convivem com nossos defeitos, porque somos humanos, portanto, imperfeitos... Aceitam-nos, e nos aceitam, como os seus aceitamos, e os aceitamos também... Esses anjos não dispõe de asas, nem tampouco caminham sobre brasas, mas tem em sua alma um doce sentimento que nos conforta em momentos de lamento, e lhes damos toda essa reciprocidade, sempre querendo sua felicidade... Assim, todos somos anjos, pois não creio que possa haver alguém que não tenha uma amizade sequer, em cujo ombro possa se consolar, em cujo coração possa habitar... Todos somos anjos neste mundo, bastando-nos desenvolver esse sentimento profundo... UMA TERNA E ETERNA AMIZADE.

1 Recados:

Graça Nunes disse...

Oi amiga, vim retribuir sua visitinha, que linda mensagem e que perfume gostoso tem este blog, parabéns amiga e sucesso sempre, bom fim de semana, beijos!

Postar um comentário

Dia 19 de Março - Dia do Artesão

Dia 19 de Março - Dia do Artesão
Minha poesia é inglória, vive em bancas incertas.
Do pódio e das vitórias, traduz histórias discretas.
Nos dizeres, incontida, minha poesia é de lua, às vezes, reza vestida às vezes, discursa nua.
Meu poema é artesanato.
E sai-me pronto das mãos.
Coso-o, com muito cuidado, cirzo-o, sem distração.
Às vezes, vem das sucatas de contas e velhos botões, de renda e fitas baratas, da fieira dos piões.
Que ressona atrás da porta, tem os pêlos de um cão, no final das linhas tortas traz pena, paina, algodão. Tem cores das violetas, pose de pedra-sabão.
Nas asas da borboleta, nem coloca os pés no chão.
O poema-artesanato traz ponto-cruz, bordaduras.
É sempre um simples retrato de uma notória figura. Retirado da net.


São José Carpinteiro.

São José Carpinteiro.