Seguidores


Presentinhos - personalizados - que ganhei da amiga Lúcia Helena do blog "Luskidoca artesanatos"

0
OLÁ QUERIDAS AMIGAS!

Vejam os lindos mimos que recebi de nossa querida amiga 


Estou  simplesmente encantada com o capricho

dos trabalhos que recebi! 



A pintura da camiseta está um primor, minha mascotinha e mais uma 

caneta mascotinha - em EVA - estão perfeitas, a caneca é linda e tem a imagem 

de nossa logomarca dos dois lados e o pingente de escamas de peixe é 

magnífico! Tudo isto veio acompanhado de uma carta muito carinhosa, estou 

nas nuvens!!!




Deixo aqui minha GRATIDÃO a querida Lúcia Helena pelo carinho dedicado a 

minha pessoa e a nossa parceria. 

A AMIZADE É VIRTUAL, MAS O CARINHO É REAL!




Que tal conhecer um pouco mais dos lindos trabalhos feitos 

pela querida amiga Lúcia Helena?

** TRABALHOS EM EVA **


O molde desta MONSTER você encontra no blog 
LUSKIDOCA ARTESANATOS!


**PINTURAS EM TECIDO**






** O TRABALHO FEITO COM ESCAMAS DE PEIXE É SIMPLESMENTE MARAVILHOSO E NOSSA AMIGA LÚCIA HELENA DISPONIBILIZA O PAP DO TINGIMENTO DAS ESCAMAS. VALE ESPIAR**


http://luskidoca.blogspot.com.br/2012/08/tingimento-das-escamas-de-peixe.html









CONVIDO A TODAS PARA FAZEREM UMA VISITA A QUERIDA AMIGA LÚCIA HELENA E DEIXAR UM COMENTÁRIO CARINHOSO!
LEMBREM! GENTILEZA, GERA GENTILEZA!




Amigo é coisa para se guardar

Debaixo de sete chaves
Dentro do coração




Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos, não tanto pelo que nos dá, mas pelo que nos revela de nós mesmos.



OBRIGADA A TODAS AS BLOGUEIRAS UNIDAS QUE TÊM DEDICADO SEU TEMPO PARA PRESTIGIAR NOSSA PARCERIA!

CASO VOCÊ AINDA NÃO FAÇA PARTE DESTA GRANDE FAMÍLIA ESTA É A OPORTUNIDADE!


ESPERAMOS TODAS AS INTERESSADAS!

ABRAÇOS!


0 Recados:

Postar um comentário

Dia 19 de Março - Dia do Artesão

Dia 19 de Março - Dia do Artesão
Minha poesia é inglória, vive em bancas incertas.
Do pódio e das vitórias, traduz histórias discretas.
Nos dizeres, incontida, minha poesia é de lua, às vezes, reza vestida às vezes, discursa nua.
Meu poema é artesanato.
E sai-me pronto das mãos.
Coso-o, com muito cuidado, cirzo-o, sem distração.
Às vezes, vem das sucatas de contas e velhos botões, de renda e fitas baratas, da fieira dos piões.
Que ressona atrás da porta, tem os pêlos de um cão, no final das linhas tortas traz pena, paina, algodão. Tem cores das violetas, pose de pedra-sabão.
Nas asas da borboleta, nem coloca os pés no chão.
O poema-artesanato traz ponto-cruz, bordaduras.
É sempre um simples retrato de uma notória figura. Retirado da net.


São José Carpinteiro.

São José Carpinteiro.