Seguidores


Sou blogueira e amo meu blog! Vamos resgatar o amor ao nosso cantinho que cuidamos com tanto carinho!

5
Queridas amiga blogueiras, vamos divulgar nossos blogs! 
Vamos divulgar blogs! 
Vamos resgatar o amor ao nosso cantinho que cuidamos 
com tanto carinho!!!



 Divulgue esta ideia!
 Publique este selo! 
Divulgue! 
Espalhe para todos os cantos! 


5 Recados:

Lia Torres disse...

Oi Siglea,já estou levando o selinho...bjs e um abençoado domingo.

artesebordados dasol disse...

Bom dia com muita alegria..... que delicia seu cantinho amei amei e amei.... já estou te seguindo viu.... quando puder bvenha me conhecer também
beijos
Fique com Deus

Samsara SP disse...

Boa tarde querida, gostaria de te convidar para participar do sorteio do meu blog com a parceria da Dinha Ponto Cruz, conto com sua presença, fica com Deus, beijinhos!
http://pontocruzdasamsara.blogspot.com.br/

Beatriz Paulistana disse...

Boa tarde Siglea!!!
De vagar e sempre em busca de manter nossa chama acessa!!!
Abração de urso!!!
Bjokas...da Bia!!!

Celia Lima disse...

Oi! Entrei em seu blog por acaso confesso!
Mas gostei tanto que viajei nas postagens!
E para não perder as postagens vindouras já estou te seguindo.
Pode ter certeza que eu voltarei sempre!
Parabéns pelo blog
Meu link http://celialima35.blogspot.com.br/ caso queira me fazer uma visitinha terei o maior prazer em recebe-la.

Bjsss

Postar um comentário

Dia 19 de Março - Dia do Artesão

Dia 19 de Março - Dia do Artesão
Minha poesia é inglória, vive em bancas incertas.
Do pódio e das vitórias, traduz histórias discretas.
Nos dizeres, incontida, minha poesia é de lua, às vezes, reza vestida às vezes, discursa nua.
Meu poema é artesanato.
E sai-me pronto das mãos.
Coso-o, com muito cuidado, cirzo-o, sem distração.
Às vezes, vem das sucatas de contas e velhos botões, de renda e fitas baratas, da fieira dos piões.
Que ressona atrás da porta, tem os pêlos de um cão, no final das linhas tortas traz pena, paina, algodão. Tem cores das violetas, pose de pedra-sabão.
Nas asas da borboleta, nem coloca os pés no chão.
O poema-artesanato traz ponto-cruz, bordaduras.
É sempre um simples retrato de uma notória figura. Retirado da net.


São José Carpinteiro.

São José Carpinteiro.